Instituto Diocesano de Formação João Paulo II

Educar para  o mérito 

A Nossa Escola

A escola entrou em funcionamento no ano letivo de 1989/90.

O IDF iniciou o seu projeto como espaço de ensino e formação, como um espaço de apoio aos alunos santomenses com maiores dificuldades de aprendizagem. Paulatinamente foi-se transformando, por via da qualidade do trabalho que foi desenvolvendo, num local procurado quer por alunos nacionais que buscavam uma alternativa ao ensino praticado no país quer por alunos portugueses, filhos de expatriados, que necessitavam de aprendizagens mais adequadas ao ensino do país de origem. Estes dois fatores foram decisivos para que, na altura, os esforços conjugados da Diocese e da Representação Diplomática de Portugal em S. Tomé e Príncipe, tivessem conseguido obter autorização de funcionamento do Ministério de Educação e Ciência de Portugal para a lecionação do currículo português, tendo-se assim oficializado o IDF, Instituto Diocesano de Formação João Paulo II, desde o ano letivo de 1993/1994, como escola particular santomense, com paralelismo pedagógico ao sistema de ensino ministrado em Portugal. O caráter social da sua ação (30% dos alunos beneficiam de isenção de propinas, 20% de redução e 50% pagam propinas no valor de 60 e 70 euros), a qualidade do ensino que ministra e o sucesso dos alunos que prosseguem os estudos superiores no exterior têm sido as suas grandes divisas.

Em janeiro de 2010, o Ministério da Educação e Cultura de São Tomé e Príncipe, reconheceu o Instituto com efeitos retroativos a partir da data em que este foi criado.

O Instituto foi tutelado pela Diocese de São Tomé e Príncipe até 2009, encontrando-se atualmente sob a tutela da Fundação UNIR.